quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Amor é mais do que palavra!

Esta musica é pura poesia que explica o amor de uma maneira linda e singela! e como estava pensando em uma pessoa especial que esta longe, tive que postar e compartilhar esta momento lindo.
O momento perfeito quando se escuta uma musica e lembra-se de alguém!


Longe


Longe é um lugar que não existe
Quando se quer ficar bem junto
Não importa onde
Siga adiante pois o mundo
Vai além do horizonte

(refrão)

Meu amor,
Amor é mais do que palavra
É o lugar aonde estava
Quem te fez ficar
Sem ter o que dizer
Amor é o trivial que encanta
Um susto que a ninguém espanta
É cantar sem saber porque


Fuja pra si mesmo
Enquanto é tempo
Águas e tempos evaporam
Beba esse momento
Seja vizinho de onde moram
Seus melhores pensamentos

(refrão)

Meu amor,
Amor é mais do que palavra
É o lugar aonde estava
Quem te fez ficar
Sem ter o que dizer
Amor é o trivial que encanta
Um susto que a ninguém espanta
É cantar sem saber porque

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Clube de Leitura 2012

Este ano nosso clube de Leitura tem novos membros, e decidimos começar com um grande autor, nosso saudoso Jose Saramago, que com a maioria dos votos vai ser nosso primeiro autor analisado, e a obra escolhida é "A viagem do Elefante".
Quem desejar participar do clube é só deixar um Email para entrarmos em contato, o clube é virtual para todo o mundo e presencial na grande Florianópolis (Santa Catarina - Brasil), o prazo para leitura do livro é até dia 29 de fevereiro de 2012. O encontro dos membros será na primeira semana de março, onde cada um poderá expor sua percepção da obra.



Informações do Livro: 
Não é todo dia que aparece um elefante em nossa vida, muito menos chamado Salomão. Pois é este formoso e meigo paquiderme, nascido em Goa, transportado pelos mares a Portugal no século XVI, o herói da viagem que aqui se conta.
"Por muito incongruente que possa parecer...", assim começa o novo romance - ou conto, como ele prefere chamá-lo - de José Saramago, sobre a insólita viagem de um elefante chamado Salomão, que no século XVI cruzou metade da Europa, de Lisboa a Viena, por extravagâncias de um rei e um arquiduque. O episódio é verdadeiro. Dom João III, rei de Portugal e Algarves, casado com dona Catarina d'Áustria, resolveu numa bela noite de 1551 oferecer ao arquiduque austríaco Maximiliano II, genro do imperador Carlos Quinto, nada menos que um elefante. O animal viera de Goa junto com seu tratador, algum tempo antes. De início, o exotismo de um paquiderme de três metros de altura e pesando quatro toneladas, bebendo diariamente duzentos litros de água e outros tantos quilos de forragem, deslumbrara os portugueses, mas agora Salomão não passava de um elefante fedorento e sujo, mantido num cercado nos arredores de Lisboa. Até que surge a idéia mirabolante de presenteá-lo ao arquiduque, então regente da Espanha e morando no palácio do sogro em Valladolid.
Esse fato histórico é o ponto de partida para José Saramago criar, com sua prodigiosa imaginação, uma ficção em que se encontram pelos caminhos da Europa personagens reais de sangue azul, chefes de exército que quase chegam às vias de fato, padres que querem exorcizar Salomão ou lhe pedir um milagre. Depois de percorrer Portugal, Espanha e Itália, a caravana chega aos estreitos desfiladeiros dos Alpes, que Salomão enfrenta impávido.
"A Viagem do Elefante", primeiro livro de José Saramago depois do relato autobiográfico Pequenas memórias (2006), é uma idéia que ele elaborava há mais de dez anos, desde que, numa viagem a Salzburgo, na Áustria, entrou por acaso num restaurante chamado O Elefante. Com sua finíssima ironia e muito humor, sua prosa que destila poesia, Saramago reconstrói essa epopéia de fundo histórico e dela se vale para fazer considerações sobre a natureza humana e, também, elefantina. Impelido a cruzar meia Europa por conta dos caprichos de um rei e de um arquiduque, Salomão não decepcionou as cabeças coroadas. Prova de que, remata o autor, sempre se chega aonde se tem de chegar.






Informações do Autor: 
José de Sousa Saramago nasceu em 1922, em Azinhaga, aldeia ao sul de Portugal, numa família de camponeses.
Autodidata, antes de se dedicar exclusivamente à literatura trabalhou como serralheiro, mecânico, desenhista industrial e gerente de produção numa editora.
Iniciou sua atividade literária em 1947, com o romance Terra do Pecado, só voltando a publicar (um livro de poemas) em 1966.
Atuou como crítico literário em revistas e trabalhou no Diário de Lisboa. Em 1975, tornou-se diretor-adjunto do jornal Diário de Notícias. Acuado pela ditadura de Salazar, a partir de 1976 passou a viver de seus escritos, inicialmente como tradutor, depois como autor.
Em 1980, alcança notoriedade com o livro Levantado do Chão, visto hoje como seu primeiro grande romance. Memorial do Convento confirmaria esse sucesso dois anos depois.
Em 1991, publica O Evangelho Segundo Jesus Cristo, livro censurado pelo governo português - o que leva Saramago a exilar-se em Lanzarote, nas Ilhas Canárias (Espanha), onde viveu até a morte. Foi ele o primeiro autor de língua portuguesa a receber o Prêmio Nobel de Literatura, em 1998.
Entre seus outros livros estão os romances O Ano da Morte de Ricardo Reis (1984), A Jangada de Pedra (1986), Ensaio sobre a Cegueira (1995), Todos os Nomes (1997), e O Homem Duplicado (2002); a peça teatral In Nomine Dei (1993) e os dois volumes de diários recolhidos nos Cadernos de Lanzarote (1994-7). Morreu em 18 de junho de 2010, em Lanzarote, Espanha.







Por fim quem quer saber como funciona um clube de leitura pode ver o filme: 

O Clube de Leitura de Jane Austen







segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

O amor pode ser pérolas em um veludo preto.



Nunca imaginei que encontraria uma definição de amor tão linda num livro de política e estrategias, pois isso acontece esta semana comigo. No domingo terminei de ler o livro “O mestre-de-cerimonias” de Morris West, é um excelente livro com uma trama política comercial envolvente, e com certeza recomendo a quem gostar do tema ler, porem o que mais chamou a minha atenção no livro foi um pequeno dialogo entre o personagem principal do livro, com a mulher que se envolveu na trama.

No capitulo 4 mais precisamente na pagina 98, o casal esta em uma propriedade que fica no campo, vivenciando um final de semana de paixão, e o mestre de cerimônia fica todo preocupado quando a sua acompanhante com apenas uma noite de amor declara para ele no meio de um passeio no jardim que o amo, precisamente com esta frase:

Marta: - eu amo você Gil. Aqui e agora neste jardim, eu amo você.

Ele responde automaticamente que também a ama naquele momento, porem como o personagem é um homem que a todo momento consegue ler o que não esta escrito, e tem toda diplomacia para tratar as pessoas, pois é o mestre de cerimônias no livro, ele sente-se na obrigação de dar uma resposta mais esclarecedora para obter dela a verdadeira intenção quanto ao futuro.  Sua fala:

Gil: - Vamos supor, Marta, uma mera hipótese, vamos supor que a nós dois seja oferecido um amanhã, talvez uma sucessão de amanhãs. O que diremos então?

A resposta de Marta é com certeza a expiração para este post, pois descreve o que pode ser os momentos de felicidade em nossa vida, o valor que eles têm, e o que estes registros podem se transformar para duas pessoas que se envolvem sem o compromisso ou garantia de um futuro.  Segue abaixo a resposta:

Marta: -Não, Gil. Vamos apenas considerar cada dia, cada noite, à medida que se apresentarem. Talvez permaneçam para sempre como pérolas separadas sobre um leito de veludo preto de um joalheiro. Talvez formem uma união tão perfeita que vamos querer convertê-las em num lindo colar sem fim. Para você e para mim, eu acho, seria uma arrogância planejar com antecedência. Seria como dizer que temos o direito ao que é, na verdade, uma dádiva maravilhosa. Hoje, neste jardim, amamos um ao outro. Isso é mais do que suficiente.

Pérolas assim ela definiu o que estavam vivendo. É com certeza uma maneira linda de você dizer para alguém que esta ao seu lado, compartilhando momentos de paixão e desejo, que mais tarde estas lembranças serão perolas em um veludo negro, e assim se desejarem, estes momentos  podem-se  tornarem em uma  linda união.
É uma pena que poucas pessoas hoje são capazes de entregar-se a este ponto, infelizmente vivemos em uma época onde os relacionamentos de entrega e risco como namorar, deixaram de existir  para dar lugar ao envolvimento de ficar, ou seja se você só fica com alguém não pode jamais dizer  “eu te amo” porque isso seria dizer compromisso, o que  é inaceitável  na era da liberdade de comunicação e diversidade, afim porque arriscar a ter um único relacionamento se pode-se ter vários ao mesmo tempo.
Mesmo que seja piegas e fora de moda ressaltar o romantismo, ou passar por ridícula, assumo, e confesso aqui neste espaço que pode ser compartilhado com o mundo todo, que sou uma das poucas pessoas que se entrega verdadeiramente ao que esta sentindo, seja um único momento sem garantias de futuro, me entrego, me arrisco, ouso a dizer eu temo, quero ter muitas pérolas de amor em meu veludo preto na joalheria da minha vida, desejo intensamente fazer um lindo colar com alguém especial.
Termino este post desejando muitas pérolas de felicidade amorosa para todos em 2012!





quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Dalai Lama em Aquele beijo é 3 segundos de felicidade!


"O FUTURO É INALCANÇÁVEL, PORQUE ESTA SEMPRE A FRENTE. E O PRESENTE DURA POUCOS SEGUNDOS. A CHAVE DA FELICIDADE ESTA NO PASSADO – MAIS PRECISAMENTE, NAS MEMORIAS AFETIVAS QUE VOCÊ VAI CONSTRUINDO AO LONGO DA SUA VIDA. SE VOCÊ CONSEGUIR  ENCONTRÁ-LAS, SERA MUITO MAIS FELIZ."






A minha primeira postagem do ano vou dedicar a palavra felicidade, isso porque assistindo ao capitulo da novela “Aquele beijo” do dia 02 de janeiro, onde o diretor Miguel Falabella utiliza uma citação de Dalai lama, que se refere ao momento presente: 
Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito. Um se chama ontem e o outro se chama amanhã, portanto hoje é o dia certo para amar, acreditar, fazer e principalmente viver. Dalai Lama.
Esta bela mensagem me incitou a pensar na felicidade que é vivida no agora.Quando começa um novo ano sempre fazemos diversos pedidos para que possamos obter realizações que tem como objetivo final a felicidade, ou seja buscamos ser felizes no futuro, sem pensar no que passou ou no que esta acontecendo. Coincidência ou não meu irmão comprou uma revista um dia depois do capitulo comentado da novela que trata do tema que estava pensando após a citação, a revista é a Super Interessante deste mês, e a matéria de capa é: Memoria mude seu passado e seja mais feliz.

Ao ler a matéria descobri que o momento presente dura apenas 3 segundos,  segundo a revista essa idéia surgiu em estudos do pisicologo Frances Paul Fraisse e hoje é aceita por diversos pesquisadores, como o também psicólogo Daniel Kahneman, ganhador do Premio Nobel. Após 3 segundos, todas as informações que passam pela sua cabeça saem da consciência e são arquivadas nos sitemas de memória do cérebro. Isso significa que você enxerga a própria vida, fundameltamente, através da memória. E isso tem uma conseqüência enorme: na pratica, ela é o fator que mais pesa na felicidade.

Assim com esta matéria pode-se dizer que a nossa memória é a responsável pela nossa felicidade eterna, ou seja quantos mais 3 segundos de momentos felizes, mais podemos garantir um passado de felicidade. Existem algumas dicas para controlar e registrar mais memórias boas,  por isso recomendo a quem tenha se interessado pelo assunto comprar a revista.

Voltando a mensagem inicial do momento presente penso que este ano vai se construir de 3 em 3 segundos, e como eu desejo um ano repleto de amor, vou dedicar cada segundo gasto  no meu blog a sensações de puro prazer que sinto ao ler lindas poesias, poemas, frases, palavras e também imagens de amor e paixão. Acredito que a maior felicidade seja as de memórias dos momentos recheados de amor, com a família, amigos, colegas e pessoas especiais que passam pela nossa vida. Quero então terminar esta postagem afirmando que mais vale acreditar na felicidade de 3 segundos do que ficar a espera dela no futuro, construa agora neste exato segundo sua vida com alegria, e garanta um lindo passado de felicidade, porque amanhã é muito longe!