sexta-feira, 17 de abril de 2015

Clube de Leitura Livros e Litros

No sábado passado (11/04/2015) foi realizado o encontro de comemoração do clube de leitura que participo.

E um maravilhoso grupo de pessoas que se reúnem ao menos uma vez por mês para compartilhar as impressões de um mesmo livro, quer saber mais acesse o nosso blog: http://naia77ster.wix.com/club-livros-e-litros?fb_ref=Default

Gostaria de compartilhar aqui o texto que o Autor de livros e professor:  Antonio Carlos Pereira, e também participante do clube, fez em homenagem de aniversario da fundação.



Sobre Livros e Litros.


Começo parabenizando a todos pelos três anos dessa importante iniciativa. Destaco que falar sobre leitura, amigos e litros, é, vamos dizer, não esgotar jamais esses temas. Primeiro vou citar o Menino Maluquinho, estou falando aqui do escritor Ziraldo que diz que a “leitura é e será o diferencial para o futuro das crianças”. Eu acrescento que não é só o futuro das crianças, mas sim o futuro de todos nós. Diz ainda esse escritor que ler é mais importante que estudar, pois todos que ele conhece e que são destaques na área em que atuam foram péssimos estudantes e leitores fantásticos.


Agora vou citar alguns clichês sobre ler, mas que são válidos. Ler é viajar, ler é buscar aprimoramento tanto pessoal quanto profissional. Ler é um exercício de paciência, ler é se apoderar da alma do escritor. Ler é também ser escritor, uma vez que através da leitura você interage com o mundo imaginado pelo escritor e você tem ainda a liberdade de criar outros universos e situações que muitas vezes não estão ali explícitos no livro lido. Ler é também conhecer mundos além desse em que vivemos. É assenhorar-se de palavras que podem fazer parte do seu vocabulário, é discernir com mais autoridade sobre os assuntos que são ditos no dia-a-dia. 

Um escritor amigo meu diz que a leitura torna o sujeito mais apto para resolver problemas, já que, como dito anteriormente, ler torna o sujeito mais imaginativo, mais criativo. 

Sobre amigos, cito Zé Perri, do Pequeno Príncipe, que diz que quem encontrou um amigo achou um tesouro. Amigos e crédito na praça, jamais devem faltar a qualquer bom vivente. Amigo e amizade são cativadas, só acontecem verdadeiramente com o tempo, com a dedicação. Aos amigos não se condiciona nada. Há de se ressaltar que a amizade é uma via de mão dupla. Tem de ser correspondida sob pena de naufragar na calmaria do esquecimento. 

E o importante desse grupo, para finalizar, é que o interesse maior é procurar fazer com que os leitores se tornem amigos, aprimorem o gosto pela leitura e, de lambuja, saboreiem litros, não a garrafa em si, mas o seu conteúdo. 

Sobre litros, cito Vinicius de Moraes, que diz que o uísque é o cão engarrafado e todos sabemos que o cão é o melhor amigo do homem. Ainda sobre litro, digo que vinho é a bebida dos deuses, cerveja salvou a humanidade do cólera. Refrigerante e água deixam a vida mais doce e mais diluída. 

Amigos, devemos tomar cuidado com o homem que lê só um livro a vida inteira e devemos ser amigos daqueles que leem muitos livros. 
É isso, obrigado pelo momento de prazer de encontrar todos vocês. 

Antonio Carlos Pereira

Membros do Clube de leitura Livros&Litros

terça-feira, 7 de abril de 2015

A TRISTEZA PERMITIDA... texto de Martha Medeiros

"Se eu disser pra você que hoje acordei triste, que foi difícil sair da cama, mesmo sabendo que o sol estava se exibindo lá fora e o céu convidava para a farra de viver, mesmo sabendo que havia muitas providências a tomar, acordei triste e tive preguiça de cumprir os rituais que faço sem nem prestar atenção no que estou sentindo, como tomar banho, colocar uma roupa, ir pro computador, sair pra compras e reuniões – se eu disser que foi assim, o que você me diz? Se eu lhe disser que hoje não foi um dia como os outros, que não encontrei energia nem pra sentir culpa pela minha letargia, que hoje levantei devagar e tarde e que não tive vontade de nada, você vai reagir como?

Você vai dizer “te anima” e me recomendar um antidepressivo, ou vai dizer que tem gente vivendo coisas muito mais graves do que eu (mesmo desconhecendo a razão da minha tristeza), vai dizer pra eu colocar uma roupa leve, ouvir uma música revigorante e voltar a ser aquela que sempre fui, velha de guerra.

Você vai fazer isso porque gosta de mim, mas também porque é mais um que não tolera a tristeza: nem a minha, nem a sua, nem a de ninguém. Tristeza é considerada uma anomalia do humor, uma doença contagiosa, que é melhor eliminar desde o primeiro sintoma. Não sorriu hoje? Medicamento. Sentiu uma vontade de chorar à toa? Gravíssimo, telefone já para o seu psiquiatra.

A verdade é que eu não acordei triste hoje, nem mesmo com uma suave melancolia, está tudo normal. Mas quando fico triste, também está tudo normal. Porque ficar triste é comum, é um sentimento tão legítimo quanto a alegria, é um registro de nossa sensibilidade, que ora gargalha em grupo, ora busca o silêncio e a solidão. Estar triste não é estar deprimido.


Depressão é coisa muito séria, contínua e complexa. Estar triste é estar atento a si próprio, é estar desapontado com alguém, com vários ou consigo mesmo, é estar um pouco cansado de certas repetições, é descobrir-se frágil num dia qualquer, sem uma razão aparente – as razões têm essa mania de serem discretas..." Martha Medeiros


Achei esse texto na pagina de uma colega no facebook, quando comecei a ler já pensei: mas porque ela esta triste? depois de terminar a leitura compreendi que ela compartilhou porque concorda com a Martha Medeiros (se é mesmo dela o texto, já que na internet nunca se sabe se o autor é mesmo o autor). 
Eu obviamente estou replicando em meu blog, porque esse texto reflete exatamente o que penso quando alguém cobra-me que não posso num belo dia de outono acordar triste sem vontade de sair da cama.
Vivemos a ditadura do politicamente correto, ou seja não é correto você ficar triste, temos que estar sempre felizes porque a vida é boa e temos tudo que outros não tem, quantas vezes eu mesmo repliquei este discurso! Mas a maturidade chega com o tempo, e hoje percebo mais do que nunca que a tristeza faz parte da vida tanto quanto a felicidade, e não devemos esconder ela debaixo do tapete só porque não é agradável aos olhos da sociedade.
Já percebeu que todas as fotos que compartilhamos é de momentos felizes, e isso é automático, será que não deveríamos registrar também os momentos tristes? 
Isso seria bom até para lembramos que a felicidade não é constante, mas obvio que se você fazer isso logo vai aparecer alguém dizendo que esta com depressão!
Desafiando as convenções assumo aqui que as vezes acordo triste sem razão algum, apenas com a vontade de lamentar as minhas dores, perdas, anseios e medo. Mesmo que neste momento não esteja me sentindo triste, quero registrar neste pequeno espaço virtual que compartilho com o mundo, que tenho o direto (todos(as) tem) de ficar triste sem ter que dar razão pra isso, afinal como diz a Martha "as razões têm essa mania de serem discretas".